Cópia de Cópia de Precisa de um novo est

SEJA BEM VINDO À PÁGINA DO

II SIMPÓSIO ONLINE   DE BIOLOGIA MARINHA

DA VIVAMAR CURSOS LIVRES

12 à 15.07.21

18h às 21h

Nessa segunda edição, teremos   a  participação de 08 projetos/institutos que abordarão sobre

suas espécies de conservação, Educação Ambiental, atividades e ações desenvolvidas.

08 palestras . material de apoio . certificado de 12 horas

PARTICIPANTES

Sem título.png
WhatsApp Image 2021-04-30 at 15.02.15.jp
@Projeto Albatroz_logo colorido.png
Instituto Coral Vivo - logo.png
V2L_PMB.logo_degrade_Vert.2L.[B]_.jpg

PROGRAMAÇÃO

18h às 19h30

19h30 às 21h

12/07/21

PROJETO MANTAS DO BRASIL com Letícia Schabiuk Conhecendo a maior espécie de raia do mundo e o Projeto Mantas do Brasil

PROJETO UÇÁ com Pedro Belga

Estratégias socioambientais para conservação de manguezais e o estudo de caso do Projeto UÇÁ na Baía de Guanabara 

13/07/21

PROJETO ALBATROZ com Cynthia Ranieri

Educação Ambiental do Projeto Albatroz na Década do Oceano: ferramentas didáticas e possíveis adaptações para o ambiente virtual

PROJETO MEROS DO BRASIL com Maíra Borgonha

Mero peixe ou peixe mero? A atuação do Projeto Meros do Brasil na conservação do senhor das pedras

14/07/21

PROJETO PROFRANCA com Karina Groch

Projeto Franca Austral - A Favor da Baleia Franca!

PROJETO GOLFINHO ROTADOR com Lume Garcia

Os golfinhos de Noronha e a Educação Ambiental

15/07/21

INSTITUTO CORAL VIVO com Miguel Mies

Impactos de múltiplos estressores sobre recifes de corais

PROJETO BALEIA JUBARTE com Sergio Cipolotti

Turismo de Observação de Baleias: geração de renda, pesquisa e capacitação profissional

CONHEÇA  OS PARTICIPANTES

PROJETO MANTAS DO BRASIL

O Projeto Mantas do Brasil busca a ampliação do CONHECIMENTO visando a PRESERVAÇÃO das maiores espécies de raia do mundo, conhecidas popularmente como raias-manta, em especial a espécie comprovadamente incidente no Brasil (Manta birostris ou Mobula birostris), que pode atingir 8 metros de uma asa à outra e pesar mais de 2 toneladas. Em 2020 ambas as espécies de mantas descritas no mundo foram recategorizadas, deixando o antigo estágio de “VULNERÁVEL À EXTINÇÃO” para o estágio mais preocupante de “AMEAÇADAS À EXTINÇÃO” na lista vermelha da IUCN. Na medida em que cresce mundialmente a consciência acerca da necessidade da proteção dos gigantes marinhos, entre eles as raias gigantes, cresce também a avidez dos mercados asiáticos por produtos exóticos. Explica-se. As raias gigantes são animais filtradores, ou seja, alimentam-se filtrando o plâncton presente na água utilizando-se de seus 5 pares de fendas branquiais. Enquanto esses pequenos organismos são retidos pelos filtros, a água passa pelas fendas e é expelida de volta ao meio. Em razão de crendice infundada, o mercado asiático passou a comercializar derivados das raias gigantes, e os pescadores, havendo demanda, passaram a caçar tais animais, matá-los, remover seus elementos filtradores e secá-los, sendo comercializados como se tivessem o poder mágico de “filtrar o sangue humano”. Se a pesca acidental já vinha dizimando as populações mundiais de mantas, a pressão de pesca intencional passou a produzir o declínio da maioria das populações mundiais de raias gigantes. O Projeto Mantas do Brasil é a voz brasileira na luta da preservação desses animais ameaçados de extinção. Com fortes atuações por meio de ações de educação ambiental e de pesquisa marinha, o Projeto conta com patrocínio da PETROBRAS por e da Santos Port Authority, administradora do Porto de Santos. Com muita paixão de suas equipes, monitores e voluntários, aliada à força dos patrocinadores, o Projeto pretende continuar e aprimorar suas diversas linhas de atuação, em defesa da existência desses fantásticos gigantes marinhos e de seu habitat.

PALESTRANTE: Letícia Schabiuk é graduada em Oceanografia pelo Centro Universitário São Judas Tadeu - Campus UNIMONTE (2019). Mergulhadora Open Water NAUI. Ingressou no Instituto Laje Viva (ILV) em 2015 inicialmente atuando como voluntária, dando apoio as ações e eventos realizados pelo Projeto Mantas do Brasil (PMB), em seguida foi estagiária de educação ambiental, até que por fim efetivada. Atualmente é Educadora Ambiental e Assistente de Gestão do Instituto Laje Viva atuando principalmente a frente do Projeto Mantas do Brasil, que visa a preservação e a disseminação do conhecimento a respeito da maior espécie de raia do mundo.

Sem título.png

PROJETO UÇÁ

O Projeto Uçá iniciou suas atividades em julho de 2012 e objetiva disseminar informações de forma coloquial, aumentando o conhecimento sobre a espécie e seu ecossistema, promovendo a sustentabilidade, visando assim, contribuir para a melhoria da qualidade ambiental na região leste da Baía de Guanabara e seu entorno. Desde 2012, atuando na conservação de manguezais da Baía de Guanabara e nesta nova fase atuará em Guapimirim, Itaboraí, São Gonçalo, Maricá, Niterói e Rio de Janeiro. (Abr/21 a Mar/24)

PALESTRANTE: Pedro Belga é Biólogo, fundador da Ong Guardiões do Mar. Atua desde 1998, como articulador socioambiental com lideranças comunitárias e da pesca na Baía de Guanabara (catadores de caranguejo e pescadores artesanais). Idealizador e gestor de 32 projetos Socioambientais (1998 a 2021), incluindo os mais recentes: Projeto Uçá (2012/2023), Projeto EDUC (2017/2023), Projeto Sou do Mangue (2020/2023) e Projetos Guanabara Verde e do Mangue ao Mar (2021/2024). Atua em 10 municípios dentro e fora da bacia contribuinte da Baía de Guanabara (Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Duque de Caxias, Magé, Guapimirim, Teresópolis, Cachoeiras de Macacu e em Maricá). E baía de Sepetiba (2021/2024). Criador das ações Moeda Verde e Operação LIMPAOCA, consideradas Referência Nacional pela Plataforma EduCares do Ministério do Meio Ambiente em 2014 – Projeto UÇÁ. 2017 - Prêmio Hugo Werneck – Categoria Biodiversidade – Projeto UÇÁ. 2018 – Recebe no Senado Federal da Argentina o título de: Líderes para el Dessarollo Integral de Latinoamérica. Com a Distinción Gobernador Dr. Enrique Tomáz Cresto. 2020 – Prêmio FIRJAN – Categoria Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos – Projeto UÇÁ Criador, em parceria com o Museu Natural do Mangue/CE, da primeira Rede Nacional de Manguezais – RENAMAN – que congrega instituições e pesquisadores em 11 estados brasileiros. Participante da Rede Manguezais - Litoral Norte SP (Ubatuba, Caraguatatuba e São Sebastião). Integrante da Rede de Conservação Águas da Guanabara e seu entorno – REDAGUA –que congrega os Projetos Coral Vivo; Projeto Guapiaçu; Meros do Brasil e UÇÁ. Atual presidente da ONG Guardiões do Mar e coordenador do Projeto Mangue ao Mar.

@Projeto Albatroz_logo colorido.png

PROJETO ALBATROZ

Reduzir a captura incidental de albatrozes e petréis é a principal missão do Projeto Albatroz, que tem o patrocínio da Petrobras. O Projeto é coordenado pelo Instituto Albatroz - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que trabalha em parceria com o Poder Público, empresas pesqueiras e pescadores. A principal linha de ação do Projeto, nascido no ano de 1990, em Santos (SP), é o desenvolvimento de pesquisas para subsidiar Políticas Públicas e a promoção de ações de Educação Ambiental junto aos pescadores, jovens e às escolas. O resultado deste esforço tem se traduzido na formulação de medidas que protegem as aves, na sensibilização da sociedade quanto à importância da existência dos albatrozes e petréis para o equilíbrio do meio ambiente marinho e no apoio dos pescadores ao uso de medidas para reduzir a captura dessas aves no Brasil. Atualmente, o Projeto mantém bases nas cidades de Santos (SP), Itajaí e Florianópolis (SC), Itaipava (ES), Rio Grande (RS) e Cabo Frio (RJ). Mais informações: www.projetoalbatroz.org.br 

PALESTRANTE: Cynthia Ranieri é bióloga e especialista em Educação Ambiental e Recursos Hídricos. Tem vasta experiência no desenvolvimento de atividades de Educação Ambiental com comunidades próximas a Unidades de Conservação e capacitar professores da rede pública e privada sobre esse tema.

V2L_PMB.logo_degrade_Vert.2L.[B]_.jpg

PROJETO MEROS DO BRASIL

O Projeto Meros do Brasil tem como principal objetivo a conservação dos meros e dos ambientes costeiros e marinhos por meio da realização de ações de pesquisa, educação e comunicação.

PALESTRANTE: Maíra Borgonha é Oceanógrafa, Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente. É coordenadora geral do Projeto Meros do Brasil desde 2012 e membro dos conselhos executivo e científico do Instituto Meros do Brasil. Atua na conservação da biodiversidade marinha e da fauna ameaçada de extinção, em especial dos meros, por meio da educação ambiental, do mergulho científico, de metodologias participativas e da etnoecologia. Mãe do Theo, nascido em 2016.

PROJETO PROFRANCA

O ProFRANCA chegou para somar em prol da conservação das baleias-franca no Brasil. Tem como objetivo geral conservar a baleia-franca-austral tanto através da continuidade de pesquisas realizadas a longo prazo, como pela execução de metodologias inovadoras aplicadas para descobertas de novas informações biológicas sobre a espécie. A sensibilização e responsabilidade ambiental também estão presentes através de ações de mobilização social, educação ambiental, capacitações e atividades escolares, contribuindo para a formação de cidadãos ativos na valorização do meio ambiente e na construção de uma sociedade mais equilibrada e sustentável. 

PALESTRANTE: Karina Groch é Bióloga, Doutora em Biologia Animal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, saiu da sua terra natal, Erechim no Rio Grande do Sul, e fez uma longa e dedicada caminhada em busca de sua realização profissional, participando de renomados Projetos de conservação marinha, até descobrir as baleias-franca em Santa Catarina. Iniciou sua participação no Programa de Pesquisa e Conservação da Baleia Franca como estagiária em 1996, desenvolveu seus projetos de Mestrado e Doutorado voltados a ampliar o conhecimento sobre a baleia-franca-austral, atualmente é Diretora de Pesquisa do Projeto Franca Austral, e Coordenadora do Projeto de Monitoramento de Praias PMP-BS (Trecho 2), realizados pelo Instituto Australis, e realiza a coordenação geral dos projetos e atividades executados pela instituição. Lidera uma equipe de biólogos, oceanógrafos, monitores e estagiários que se dedicam à conservação das baleias e de outros animais marinhos que ocorrem em nossa costa, através dos programas de pesquisa e monitoramento realizados pela instituição.

marca_golf.jpg

PROJETO GOLFINHO ROTADOR

O Projeto Golfinho Rotador nasceu em 1990 de uma paixão e necessidade de preservação dos golfinhos de Noronha. O Projeto Golfinho Rotador é sediado em Fernando de Noronha, executado pela ONG Centro Golfinho Rotador e tem patrocínio oficial da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Nossa Missão é desenvolver ações de pesquisa, educação ambiental, envolvimento comunitário e sustentabilidade em prol da conservação dos golfinhos-rotadores, da biodiversidade marinha e de Fernando de Noronha.

PALESTRANTE: Lume Garcia é Pesquisadora do Projeto Golfinho Rotador desde 2018. Bióloga (Licenciatura e Bacharel) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Universidade de Vigo - Espanha, na modalidade de Graduação Sanduíche pelo programa Ciências Sem Fronteiras. Mestre em Ciências Naturais pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) com foco em estudos etnológicos de peixes-bois marinhos. Tem experiência, na área de ecologia, comportamento, morfologia, resgate e reabilitação de mamíferos e tartarugas marinhas; de estudos de recifes mesofóticos; e de extração de ácidos graxos de microalgas marinhas. Tendo sido anteriormente pesquisadora do Projeto Cetáceos da Costa Branca (UERN) e Diretora do Centro de Monitoramento Ambiental (CEMAM).

Instituto Coral Vivo - logo.png

INSTITUTO CORAL VIVO

Instituído em 08 de agosto de 2013, qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), e inscrito no
Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas (CNEA). Suas principais ações são desenvolvidas por meio do Projeto Coral Vivo totalmente inseridas nas finalidades do Instituto, como a promoção, a defesa e a conservação do patrimônio, cultural, histórico e artístico de populações relacionadas ao ambiente marinho; a defesa, a preservação e o uso sustentável do meio ambiente costeiro e marinho; a promoção do desenvolvimento sustentável; a educação ambiental; bem como a realização de estudos e pesquisas, o desenvolvimento de tecnologias alternativas, a produção e a divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos que digam respeito às atividades mencionadas.

PALESTRANTE: Miguel Mies possui bacharelado (BSc) e doutorado (PhD) em oceanografia, ambos obtidos no Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO-USP). Atualmente atua como: (i) pesquisador associado do IO-USP, credenciado como orientador e co-orientador no programa de pós-graduação em Oceanografia; (ii) coordenador de pesquisas do Projeto Coral Vivo, responsável pela gerência e supervisão dos projetos de pesquisa de campo e laboratório.

PROJETO BALEIA JUBARTE:

Criado em 1988, com a finalidade de promover a proteção e a pesquisa de uma pequena população de baleias-jubarte na região de abrolhos remanescente de décadas da caça comercial. Durante mais de  30 anos vem ampliando suas áreas de atuação ao logo da costa do Brasil,  com a principal missão de conservar as baleias-jubarte e outros cetáceos do Brasil e contribuir para a harmonia entre a atividade humana e a preservação do patrimônio natural.

PALESTRANTE:  Sergio Cipolotti é Biólogo, Mestre em Ecologia e Coordenador Operacional do IBJ. Possui experiência em educação e gestão ambiental a mais de 15 anos atuando no Instituto Baleia Jubarte,  na coordenação de equipe e desenvolvimento do turismo de observação de baleias ao longo do litoral do Brasil, responsável pela capacitação de estudantes, profissionais marítimos e operadores turísticos. Pesquisador com diversas expedições marítimas realizadas para coleta e análise de dados científicos, com ênfase nos cetáceos. Promove  diversas ações nacionais e internacionais na área da conservação marinha pela Instituição. 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

- o II SIMPÓSIO ONLINE DE BIOLOGIA MARINHA DA VIVAMAR CURSOS LIVRES acontecerá de 12 à 15 de julho de 2021, através da plataforma ZOOM

- serão 02 palestras por dia, sendo a primeira às 18h e a segunda, às 19h30 

- cada palestra terá duração entre 1h10min e 1h30, incluindo perguntas diretamente com o palestrante

- qualquer interessado pode participar

- os inscritos terão direito ao acesso em todas as palestras e ao recebimento do material de apoio

- para o recebimento do certificado, o inscrito deve participar de pelo menos 80% das palestras

- o certificado e o material complementar serão enviados por e-mail, após o término do evento

- as palestras não serão gravadas

- é de inteira responsabilidade do inscrito fornecer as informações corretas para o envio do certificado e material complementar

- carga horária: 12 horas

INSCRIÇÕES

- o valor da inscrição é de R$ 180,00 que pode ser à vista ou parcelado em até 05 vezes sem juros no cartão de crédito

- para realizar a sua inscrição, basta clicar no botão abaixo e depois seguir o passo a passo

- qualquer dúvida, o nosso e-mail é contatovivamar@gmail.com e nosso whatsapp (71) 99647-9729